sábado, 9 de junho de 2012

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

sábado, 22 de janeiro de 2011

Era uma vez, há muito tempo atrás.

O título engana... não vou dizer que não comprei o livro achando que teria alguma coisa de "mágico" nele, ainda mais porque a frase "mostrando que a vida real pode ser um belo romance" foi completamente mal interpretada por mim. Mas não estou reclamando, é um dos melhores livros que já li, certeza! Ainda mais que, querendo ou não, envolve a 2º Guerra Mundial, o que sempre me chama a atenção...
Óbvio que não vou ficar falando senão vou acabar soltando spoilers e isso, nesse livro, acho inaceitável! Mas leiam, vale muito a pena! E os personagens são, por mais insuportáveis, encantadores!
Fica a dica!

sábado, 4 de dezembro de 2010

Livros

ESSE POST CONTÉM SPOILERS DE HARRY POTTER. CUIDADO!

Então, gente. Título enganoso. HÁ! Não falarei de livros, pelo menos não no sentido que o título dá a entender, eu acho. Falarei de dois na verdade, mas não de dois livros, duas obras: a obra do Tolkien e Harry Potter.
Pra quem ainda não ouviu essa história, eu odiava muito Harry Potter, mas MUITO mesmo! Simplesmente porque todo mundo ficava comparando com O Senhor dos Anéis. Eu ficava muito puta! Quando estava para sair "As Duas Torres" no cinema eu comecei a ficar paranóica, achando que ia acontecer alguma coisa que iria me impedir de assistir o filme. Pra ajudar, eu fui assistir "A Câmara Secreta" no cinema, só pra ver o trailer de "As Duas Torres". Aí pronto! Além de ficar com mais raiva ainda de Harry Potter (embora tenha simplesmente amado o Snape e o Lucius Malfoy), ainda fiquei achando que ele tinha um plano pra me impedir de assistir "As Duas Torres". Isso mesmo! Quantos anos eu tinha? Quase 18. Algum problema pra você? Não? Acho bom!
Uma semana antes do filme estrear eu tava mais nervosa ainda. Nem saía de casa pra não dar chance ao azar. Mas uma amiga minha, a Deise, me convenceu a dar uma volta no bairro mesmo, só pra espairecer, aí fui. No meio do caminho encontramos um outro amigo meu, o Maxwell, que estava passeando com seu cachorro preto gigante. Eu olhei pro cachorro, o cachorro olhou pra mim e começou a latir sem parar e eu comecei a chorar falando que o cachorro trabalhava pro Harry Potter e que ele tinha ido lá pra me morder e me impedir de ver "As Duas Torres". Meu amigo tentava argumentar falando que SEMPRE tivera o cachorro e que ele estava lá há muito tempo e que não tinha sido o Harry Potter que havia mandado o coitado lá, mas não adiantava. Voltei pra casa correndo. Detalhe: eu não tinha lido e nem ninguém tinha me contado nada sobre o sinistro do terceiro livro. Você podem imaginar como ri quando li Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, né? Eu tava certa, afinal... Mas consegui ir ver "As Duas Torres". Várias vezes. E foi a estréia mais linda que já fui; mais linda, inclusive, que "O Retorno do Rei".
Meu ódio por Harry Potter continuou por muito tempo ainda. Lembro que uma vez passou uma propaganda de "O Prisioneiro de Azkaban" super dramática, aí eu falei: "Aposto que esse prisioneiro de Azkaban é inocente, do jeito que esse povo é sem imaginação...". Mas quando li não achei sem imaginação, ok? Enfim... não foi nada fácil me convencer que Harry Potter era bom.
Engraçado que não consigo me lembrar quando comecei a odiar a J. K. Rowling... deve ser algo genético ou sei lá. Não tenho um motivo pra odiá-la, mas odeio muito!
Bem, aí começou minha transformação... um amigo começou a me contar a história da série, achei interessantinha, principalmente por saber que o Snape estava sempre por lá. Na época ele me contou a história da "Pedra Filosofal" e "A Câmara Secreta" eu tinha assistido... Aí... meu cunhadinho falou que tinha o jogo do Harry Potter e eu falei "Putz! Tá me zuando! Odeio videogame e odeio Harry Potter, como assim?" Mas o jogo era super simpático, principalmente porque não precisava apertar todos os botões do controle ao mesmo tempo, meu grande problema com videogames. Aí passei até a gostar um pouquinho de Harry Potter... mas nada que me fizesse ler.
Quase dois anos depois estava saindo "A Ordem da Fênix" e a mulher do meu cunhado estava lendo. Lembro que cheguei a folhear, pensando "eu até podia ler... mas não gosto de coisas que imitam o Tolkienzinho!". Agora, vocês não podem me culpar por pensar isso, afinal todo mundo que conversava comigo colocava os dois como a mesma coisa e eu fui assistir "A Câmara Secreta", vi a Aragogue, dois meses antes de achar que iria ver a Laracna... achava super copião mesmo!
Em 2004 mudei pra São João de Iracema de novo e então minha amiga Carol não parava de falar em Harry Potter. Ela dizia "VOCÊ TEM QUE LER!!!" e eu super disfarçona "Ah tá, eu vou ler sim... (aham, Cláudia!)". Um dia estávamos indo de ônibus para General Salgado e ela me pediu para contar a história do terceiro pra mim e eu deixei, afinal não tinha a mínima intenção de ler mesmo... e aí ela foi contando e eu fui gostando de verdade. Óbvio que ri com o fato de o prisioneiro ser mesmo inocente, mas tudo bem. E sim, eu li o "Prisioneiro de Azkaban" sabendo de tudo. Quando chegamos em São João ela disse "Olha, eu estou com os dois primeiros livros aqui em casa, que eu peguei emprestado da Thaís, vou te emprestar e já peço o terceiro pra ela, ok?" e eu "Tudo bem (ainda estava meio assim de ler)". Cheguei em casa, fui pro quarto e comecei. Quando tava no fim do primeiro capítulo lembrei que era dia 22 de setembro. QUASE MORRI! Mas chorava, mas chorava! Aquilo era alta traição com o Tolkienzinho, como eu podia ter feito aquilo... (nem vou me dar ao trabalho de explicar por que, acho que todo mundo sabe, né). Óbvio que o Tolkienzinho só ria e falava "Mirane, não tem problema! Harry Potter não é um concorrente. Não tem nada de traição em ler outros livros... mesmo no dia 22 de setembro..." Aí, depois de horas de conversa com o Tolkienzinho ele me convenceu de que eu não tava fazendo nada errado, então continuei. Terminei o primeiro no dia seguinte. O segundo terminei dia 24 e já fui atrás do terceiro, já avisando a Thaís pra me emprestar o quarto. Mas ela não sabia onde tava, já fiquei deseperada... só ela e mais uma pessoa da cidade tinha os livros. Fui atrás da outra pessoa e ele disse que tinha mesmo, nem tinha lido e nem ligava, se eu não queria comprar. Comprei. Até o fim da semana tinha terminado todos. Mas tinha um problema: NINGUÉM NAQUELA MERDA DE CIDADE TINHA O QUINTO LIVRO! Na hora lembrei da mulher do meu cunhado. Liguei pro meu namorado e disse: "Esse fim de semana você vem pra cá e ME TRAZ ESSE LIVRO!" Ele trouxe! (: E eu li no fim de semana e aí começou o desespero. Não existia o sexto ainda. Sairia só em julho do próximo ano. Merda! Como eu ainda tinha que ir em Birigui pra pagar algumas contas e receber meu seguro desemprego, aproveitei e comprei TODOS os livros. Inclusive "Animais fantásticos e onde habitam" e "Quadribol através dos séculos". Aí aconteceu um monte de coisas. De setembro até julho eu reli os cinco livros sete vezes, larguei do meu namorado, passei no vestibular, mudei pra Rio Preto, conheci pessoas por causa do Harry Potter (Jaini, Elene). Aí.... aí! Meu inglês não é lá essas coisas e em 2005 então... Chegou julho. Já tinha saído o livro. As pessoas já sabiam quem tinha morrido e eu queria saber! Elene e Jaini diziam que me matariam se eu falasse pra elas. Eu já suspeitava que fosse o Dumbledore, por causa das capas. No dia do meu aniversário chega a Elene com um pedaço de bolo e cara de choro: "Sem querer eu fiquei sabendo quem morre. Adivinha" eu "O Dumbledore!" ela "Você sabia já?" eu "Não! É ele mesmo?" ela "É!" BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ. Elene de novo: "Adivinha quem mata" eu "O Snape" ela "Mas como você sabe?" eu "É ele mesmo? Eu não sabia... VADIA, BISCATE, EU NÃO ACREDITO QUE ELA FEZ ISSO! Agora todo mundo vai pensar que o Snape é mau." Elene "Mas ele matou o Dumbledore, Mirane. É claro que ele é mau" eu "Não, não é! Impossível isso. Aposto que foi tudo parte de um plano". Aí fui pra internet pra ver. Quando vi o "Severus, please..." foi muito "UFA! Tava certa" PORQUE ERA MUITO ÓBVIO E SÓ AS PESSOAS ABSURDAMENTE BURRAS E IDIOTAS E RETARDADAS NÃO SE TOCARAM QUE O SNAPE ERA FODA E ERA ÓBVIO QUE O DUMBLEDORE JAMAIS IRIA SUPLICAR PELA PRÓPRIA VIDA. Fiquei muito puta! MUITO! Como era possível alguém que tivesse lido os cinco livros anteriores pensar que o Snape era realmente mau e o Dumbledore tivesse suplicado pela vida... Até hoje me irrito com isso. Nem preciso dizer que no dia seguinte fui no shopping e comprei o livro em inglês mesmo. E li. Daquele jeito. Mas aí ficou tudo muito claro. Tanto que o capítulo "The Prince's Tale" do sétimo livro pra mim não tinha nenhuma novidade. Um detalhe ou outro só, PORQUE O SEXTO LIVRO DEIXA TUDO AQUILO CLARO PRA QUEM NÃO É FRESCO E PRECONCEITUOSO E FICA IMPLICANDO COM O MELHOR PERSONAGEM DO LIVRO!
Acalmei.
O sétimo também comprei em inglês. Li em 4 dias. Meu inglês já era um pouquinho melhor. Mas só um pouquinho. O melhor foi: madrugada de 24 para 25 de julho, meu aniversário. Prova de poesia portuguesa no dia seguinte e eu lendo Harry Potter. Quando deu meia-noite Stheffany e Camila entram com um doce de chocolate cantando parabéns pra você e eu com a cara mais vermelha que pimenta, mil lágrimas escorrendo. Sthé "O que foi?" eu "O Fre-e-ed morre-e-e-uuu..." BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ. Todo mundo chorando. O melhor foi no dia seguinte, durante a prova, numa pergunta sobre literatura e realidade, eu querendo citar o Dumbledore... foi por bem pouco. Ainda bem que não citei, já fui mal na prova, se tivesse citado teria tirado 0. Professores cheios do preconceitos... Enfim! teria um milhão de coisas pra contar sobre Harry Potter ainda, como por exemplo o tempo que fiquei deprimida por causa da morte do Dumbledore e um amigo querendo me animar (ele nunca tinha lido Harry Potter) me comprou um picolé de limão, o que me fez chorar escandalosamente na cantina da faculdade. E também o dia que fiquei mais bêbada que o Batman e ficava choramingando "O Dumbledore morreuuu" e mais várias coisas. Mas esse não é ponto do post. Não mesmo.
Agora Tolkien... ah... o que dizer? Não há. Fiquei doente de vontade de ver o filme mesmo antes de sonhar o que era O Senhor dos Anéis, tirem daí... mas tive que esperar o DVD, na verdade, no meu caso, ainda era VHS. Quando saiu, fui na minha linda locadora e SÓ TINHA DUBLADO. Putz! PUTZ! Tive que levar né... ODIEI. MUITO. Três dias depois comprei o livro. Tenho disso às vezes, um ódio meio amoroso. Li em três dias. DEUS! O que era aquilo? Está além de qualquer expressão, qualquer palavra, qualquer explicação. Um mês depois eu já tinha o Contos Inacabados, O Silmarillion eO Hobbit, além de milhões de revistas, CD da trilha sonora do filme, o filme e mais mil coisas!
E tudo isso até agora para chegar ao ponto que eu queria. [Puta que o pariu, até que enfim, que menina enrolada!]
Eu passei muito tempo ainda com a consciência pesada achando que gostar de Harry Potter era traição com o Tolkienzinho, embora tivesse percebido de cara, quando li os livros, que não tinha nada a ver. Assim, ambos são fantasias (aguardem tese de doutorado, 2014), mas são completamente diferentes. Pensei muito sobre isso e nunca consegui chegar a uma conclusão em relação aos meus sentimentos sobre essas obras, o mais próximo que consegui é o seguinte:
A obra do Tolkien, pra mim, é algo inexplicável. A genialidade e a perfeição dele são intraduzíveis em palavras. Quem me conhece já sabe: Tolkien é a minha vida! A sua obra, pra mim, é algo profundo, além da compreensão e a tristeza que sinto é como, não sei, é a tristeza de "some things that should not have been forgotten" mas "were lost". Como já disse, não sei explicar. Mas o que quero dizer é que a obra do Tolkien é parte de mim, então não tem porque eu ficar de consciência pesada quando leio outras obras pois, não importa o quanto eu goste dessa outra obra, nenhuma NUNCA significará pra mim o que a do Tolkien significa. Resumindo: a obra do Tolkien, pra mim, está acima de qualquer tipo de comparação ou adjetivação. Ela é!
Já o Harry Potter é uma coisa tão próxima, mas tão próxima que quando morre alguém lá a dor é real, presente, como se fosse alguém daqui. A morte do Fred foi como a morte de um amigo meu daqui e desafio qualquer um a dizer que o Fred não era meu amigo. Porque ele era. Um dos melhores. Harry Potter existe aqui. E isso faz dela a melhor série já escrita e, dentre a literatura mortal*, a minha favorita!

*Uso ali o termo "literatura mortal" em oposição à "literatura imortal", cujo único integrante é a obra do Tolkien.

And here we go!

Mais uma vez eu tentando explicar... Esse é mais um dos meus primeiros blogs, não sabia o que fazer... vou tentar atualizá-lo mais. Assim como os outros, trarei algumas coisas do Salão pra cá, porque né... o Salão tem TUDO! Inclusive trarei alguns post "por importação" para virem com comentários... hm. E trarei também os posts sobre preconceito. Já sabem, né...
Beijos!

P.S. Tentarei ser mais, como eu posso dizer... falante em relação aos próximos livros que comentar.

terça-feira, 21 de julho de 2009

O jogo do anjo

Um dos melhores livros que eu já li. Achei que seguia muito a linha de "A sombra do vento", mas o final... super surpreendente. Vale a pena!

domingo, 16 de novembro de 2008

O chefão

Tá certo que meu orientador diz que boa adaptação não tem necessariamente a ver com fidelidade, mas independente disso o filme ficou muito bom e muito fiel ao livro e o livro é perfeito, assim como o filme...